Como a superexposição nas redes sociais pode desvalorizar sua marca pessoal

Em meu último post, eu falei sobre a separação de perfis para publicações pessoais e outro para publicações profissionais e expliquei por que esta estratégia pode ser negativa para o posicionamento de sua marca pessoal.

Hoje, eu vou falar sobre o que, talvez, veio a ficar em sua mente após ter lido meu último post: a superexposição.

É fato que precisamos ter cuidado com a superexposição nas redes sociais e não apenas por uma estratégia de marketing, mas também por uma questão de segurança.

O que devemos entender é a real relevância de nossas publicações. Você pode pensar “nossa Isadora, você está dizendo que eu preciso de um calendário de publicação?”.

A resposta é sim e não.

Seria maravilhoso se todos nós tivéssemos alguém ou uma empresa especializada em marketing digital para gerenciar nossas redes, mas a realidade não é bem assim.

Eu te afirmo aqui que com boas práticas e um olhar mais crítico você também conseguirá entender um pouco dessa tal relevância e como ela é importante em meios digitais.

 

Conteúdos Relevantes e marca pessoal

 

Conteúdos relevantes são aqueles que seu público realmente deseja consumir. Aqueles que têm maior engajamento em suas redes. Parece simples, né? E pode ser.

O engajamento nas redes sociais, ou seja, a relação que seu público estabelece com você por meio de curtidas, comentários e compartilhamentos, é determinado pela relevância do conteúdo publicado.

Um conteúdo relevante tem a ver com as respostas que seu público espera para os problemas que eles enfrentam e que você pode solucionar ou ajudar. E eu não estou dizendo isso apenas para perfis empresariais que vendem produtos e serviços, eu estou dizendo isso para você.

Muitas vezes, o problema da sua audiência, ou seja, do público que te segue nas redes sociais pode ser esclarecido por você em um momento de reflexão, em uma palavra bem dita, em um vídeo legal, em uma foto que gera curiosidade… enfim, são muitas as possibilidades.

Entenda, escute e converse com seu público produzir a ele o que ele realmente deseja.

Observar suas antigas publicações e verificar o engajamento de cada uma delas é uma ótima dica para pesquisar qual o tipo de conteúdo melhor funciona para o seu público.

 

Superexposição e desvalorização da marca pessoal

Se você contratar uma empresa séria para o gerenciamento de suas redes sociais e questioná-la quanto à periodicidade adequada para o seu perfil, ela responderá que precisa conhecer o seu público, seus objetivos e suas metas para, somente então, definir um calendário de publicações.

Contudo, na ânsia por não perder o timing e publicar algo, nós não pensamos na relevância daquilo e nem mesmo se o número de publicações anteriores àquela está excessivo. E aí entra uma questão importante quando estamos falando de marca pessoal e de redes sociais, sua superexposição.

Celebridades bastante conhecidas como Luciano Huck, por exemplo, tem um limite de propagandas em que atua em um ano. Isso acontece porque a superexposição de sua imagem a desgasta e diminui seu valor de mercado.

As Kardashians, famosas nas redes sociais e também por terem um reality show bem popular na TV por assinatura, são bons exemplos para observação. Mesmo com milhões de seguidores em todo o mundo, elas não  publicam exacerbadamente, repetindo fotos parecidas e utilizando as redes sociais para tornar público todos os passos de suas vidas.

A grande estratégia é separar o que realmente é relevante ao seu público daquilo que é particular e que somente interesse a você ou a um pequeno grupo de amigos mais próximos.

 

Não é porque seu perfil é privado que ele é realmente privado

 

“Ah Isadora, mas meu perfil é privado.”

E se eu te disser que nas redes sociais não existe esse tal privado?

Imagine a situação que possivelmente você já passou: Naquele perfil privado que você segue surgiu um story que você achou interessante e resolveu compartilhar com uma amiga. Daí, a amiga te retorna com a mensagem “privado”. O que você fez? Printou a tela e enviou a imagem a ela, não foi? Logo, o privado deixou de ser, concorda?

É por isso que diferenciar o que realmente é relevante para publicarmos nas redes sociais é tão importante.

A relevância do conteúdo tem a ver diretamente com seu objetivo, com sua proposta de valor, com seu plano de ação e claro, com os interesses do seu público. Tudo isso pode ser bem ajustado a partir de autoconhecimento e de uma boa consultoria em personal branding.

Se você quiser conversar online comigo ou marcar um café, deixe seu endereço de e-mail aqui nos comentário e eu entrarei em contato. Seu comentário não será publicado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *