Frequência nos relacionamentos como estratégia de marketing pessoal

Algumas pessoas parecem ter mais facilidade para relacionamentos do que outras e isso pode sim ser um diferencial. No Marketing Pessoal, o relacionamento é uma das principais estratégias que você ter.

Já parou para pensar que todas as nossas conquistas tem como início um relacionamento?

A menos que você seja um robô, e isso já é possível, para a conquistar qualquer objetivo que tenha tenha, você precisa se relacionar com outra pessoa. E isso é um fato!

A habilidade de nos relacionarmos, embora pareça nata ao ser humano, não é tão simples assim.

Algumas pessoas têm maior facilidade em fazer amigos desde os tempos do jardim de infância, outras têm facilidade em fazer networking e assim conquistam melhores oportunidades profissionais, outras têm habilidades para conquistas amorosas e algumas têm dificuldade em estabelecer relacionamentos.

Não vou e nem tenho a pretensão de entrar em nenhuma área da psicologia para explicar isso, até porque não sou psicóloga e deixo essa parte para os meus amigos que entendem do comportamento humano.

Este post é para falar da minha área de formação, daquela que me dá o maior prazer, a comunicação social.

 

Marketing pessoal e os relacionamentos

 

Jack Schafer, um psicólogo Ph.D e ex agente do FBI, escreveu um livro baseado em suas pesquisas e em seu tempo como investigador. Schafer promete, logo no início, desvendar o mistério das pessoas bem sucedidas nos relacionamentos e ele desvenda mesmo.

Segundo Schafer, a amizade tem uma fórmula. Sim, eu venho dizendo nos posts que não existe receita de bolo, mas o Schafer diz que existe sim uma fórmula que funciona para quaisquer relacionamentos.

De acordo com o ex agente, amizade = proximidade, frequência, duração, intensidade. É isso que faz com que algumas pessoas tenham melhores resultados em seus relacionamentos do que outras. Elas sabem utilizar cada etapa da fórmula, desde as observações aos sinais amistosos até à intensidade das relações.

Porém, neste post, eu não vou falar sobre a fórmula da amizade descrita por Schafer, mas sim  sobre um ponto dela que é a frequência.

 

O segredo é a frequência nos relacionamentos

 

Quero te convidar para uma reflexão, pare para pensar um pouco e responda:

Quantas pessoas novas você conheceu este ano?

Quantas destas pessoas você se tornou amigo ou parceiro de trabalho?

Quantas poderiam expandir em boas parcerias profissionais e ficaram para trás?

Se você está há mais de um minuto refletindo e lamentando, principalmente se a resposta à última pergunta foi um número alto, você precisa entender de uma vez por todas que se relacionar é sim a chave do sucesso.

 

Redes sociais e o relacionamento

 

Abra uma aba do seu navegador ou clique aqui e procure na seção imagens do bondoso Dr. Google por redes sociais.

Você encontrou muitas imagens com ícones de algumas das redes sociais mais populares e que possivelmente você tenha e, encontrou também, algumas imagens destas redes ou o desenho de pessoas ligadas por linhas pontilhadas, certo?

Esta é a representação de rede. É o que nos conecta uns aos outros.

E se você está se perguntando por que estou escrevendo sobre redes sociais e desenhos representativos se o assunto deste post é relacionamento, é por uma simples razão: nós estamos nas redes sociais para nos relacionarmos.

O que acontece se você deixar de publicar em seu perfil ou página de uma rede social?

As pessoas deixarão de interagir naquele espaço com você, não é mesmo?

E é exatamente assim na vida por trás das telas. Nossas relações são regidas por frequência e ela é o mais importante para manter uma relação ativa.

Por mais que seu primeiro contato, a duração dele e até a intensidade tenham sido proveitosos, a frequência é o que manterá essa relação.

Nota: Frequência, por sinal, é a chave de uma boa estratégia de Marketing Digital, uma vez que não basta estar presente é preciso relacionar-se com suas conexões. E por mais que você pense que isso se deve aos algoritmos das redes sociais, seu pensamento está correto, embora seja um algoritmo, existe uma razão humana de ser.

Voltando aos nossos contatos do ano, por que alguns deles não foram para a frente?

Eu espero que depois de todo este post sobre redes sociais e algoritmos você já tenha chegado à uma conclusão.

Precisamos entender que não somente nosso público alvo merece nosso relacionamento. Nossos fornecedores, parceiros, funcionários e todos à nossa volta têm uma importância singular em nosso sucesso profissional.

Entendo, e está correto que o gasto de energia seja maior com seus clientes ou público alvo que você deseje alcançar, mas para manter-se na posição que alcançou ou mesmo para chegar até ela, você precisa dar atenção àqueles que de alguma maneira são parte do processo.

Aproveite o final do ano para manter a frequência de seus relacionamentos. No Marketing Pessoal, no Personal Branding ou no Marketing Digital sairá na frente aquele que não perdeu a capacidade de se relacionar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *