Imagem pessoal é mesmo poderosa?

Imagem Pessoal, Personal Branding e Marketing Pessoal… mas o que todos estes conceitos tem a ver com a nossa imagem? Ela é realmente tudo em nossa estratégia de posicionamento de marca?

Trouxe esta introdução para instigar uma reflexão sobre imagem pessoal.

Já expliquei em conceitos técnicos o que é Personal Branding e até dei dicas de Marketing Pessoal para te ajudar no posicionamento diário de sua marca pessoal.

Nos dois artigos, eu chamo a atenção para uma questão importante: sua imagem.

Proponho que você pare um instante, abra a câmera de selfie do seu celular e faça uma foto. Reflita:

Como você se vê?

Qual mensagem sua imagem transmite?

Se você estivesse se vendo pela primeira vez, o que pensaria sobre sua imagem?

 

Por que nossa imagem pessoal é tão importante?

 

“Você nunca recebe uma segunda chance de causar uma boa primeira impressão”,

Disse Will Rogers. Já pensaram quanto a afirmação do ator americano do início do século passado é atual e importante?

Pois sim, a primeira impressão que causamos em uma pessoa é transmitida por nossa imagem.

A regra “7-38-55”, apresentada a partir de um experimento sobre linguagem corporal realizado pelo professor Albert Mehrabian na década de 70, é ainda aceita e respeitada nos dias de hoje.

Em seu livro Silent Messages, publicado em 1971, Mehrabian explica a representação da regra: 

7% – Linguagem Verbal

38 – Linguagem Vocal

55 – Linguagem não verbal

Linguagem verbal refere-se às palavras, ao discurso propriamente dito.

Linguagem vocal refere-se à maneira como as palavras são ditas. Em termos técnicos, à prosódia do emissor.

Linguagem verbal refere-se a todo o comportamento do corpo, incluindo expressões faciais, gestos, postura, roupa e etc.

Mas, ao analisarmos tão superficialmente esta matemática do professor Mehrabian, ela pode nos sugerir alguns equívocos.

Você pode imaginar que, seguindo esta equação, seria possível que nós compreendêssemos outro idioma apenas pela linguagem corporal do emissor e de sua boa oratória, não é mesmo?

Não é isso!

O que o estudo mostra é que nossa emoção, externada por meio de nossos gestos, postura, tom de voz e principalmente nossas expressões faciais, tem maior influência sob nossos receptores.

Eu expliquei toda esta teoria para chegar à nossa pergunta inicial:

 

Imagem Pessoal é mesmo tudo isso?

 

Podemos dizer que não, se sua ideia de imagem pessoal estiver apenas conferida à roupa, ao estilo e ao corte de cabelo. Contudo, se sua imagem estiver relacionada ao seu objetivo que por sua vez está associado ao seu valor pessoal, sim. Sua imagem é mesmo tudo isso.

Suas expressões faciais, postura de tronco, cabeça e membros, gestos com as mãos, cotovelos e até com seus pés, serão analisados, inconscientemente, pelo receptor da mensagem.

Agora que você já fez uma análise da sua imagem estática, faça uma em movimento.

Grave um vídeo simulando uma situação que você deve enfrentar em breve.

Simule perguntas do interlocutor, observe como você reage às perguntas.

Se for mais fácil, peça ajuda a um amigo.

Após a breve análise, pergunte-se:

A mensagem transmitida por sua imagem pessoal é a que você gostaria de transmitir?

Em um processo onde as estratégias para o posicionamento de sua marca pessoal serão definidas e alinhadas de acordo com seu valor e seu objetivo, sua imagem precisa ser integrada ao processo. É muito mais do que se portar de maneira socialmente aceitável, é conduzir-se de maneira alinhada ao seu objetivo, estabelecendo seu plano de ação, mensurando seus resultados e cumprindo suas metas, sem deixar sua essência e sua personalidade de fora.

A adequação da imagem também é um pilar do Personal Branding, se você quiser saber um pouco mais sobre assunto, pode agendar uma conversa online comigo. É só deixar seu e-mail aqui e eu lhe respondo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *