Devo ter um perfil particular e outro profissional?

Em minhas últimas sessões de consultoria em Marketing Pessoal, todas as minhas clientes me perguntaram se elas deveriam ter um perfil, especificamente no Instagram, para suas divulgações pessoais e outro para suas divulgações particulares.

A resposta a todas elas foi uma só: Não. Nós não precisamos ter dois perfis para divulgarmos nossas postagens profissionais. Isso porque nós não somos pessoas diferentes em nossa vida privada e nossa vida pública.

Nós desempenhamos papeis diferentes ao longo de nossa jornada, que muitas vezes precisam ser adequados ao ambiente ou mesmo ao estilo, mas nunca mudam quem somos.

Desta forma, um perfil separado para fins profissionais e outro com finalidade pessoal não faz sentido à estratégia de posicionamento, já que ser verdadeiro é a premissa do trabalho.

Nossas publicações e nossa imagem pessoal

Você pode pensar que é importante dissociar sua imagem pessoal de sua imagem profissional, mas como eu expliquei anteriormente, isso não é possível.

Durante muito tempo, as consultorias em Marketing Pessoal pregavam que precisávamos nos colocar de maneira diferente quando no ambiente de trabalho, dando uma impressão de que deveríamos nos despir de nossa personalidade. Foi um triste entendimento do passado que hoje se torna cada vez mais distante.

Não é disso que se trata. O que realmente precisamos fazer é ter equilíbrio, objetivos bem definidos e valores bem arraigados e assim, adequar nossa imagem aos ambientes.

Não é possível separara a Isadora consultora da Isadora que adora dançar, por exemplo. O que precisamos fazer é adequar, ponderar e entender se nossas publicações estão condizentes com nossos objetivos e valores.

Por isso, é tão importante o autoconhecimento, entender o que te torna único e trabalhar sua imagem da maneira mais condizente com os papeis que você desempenha.

Exposição e imagem profissional

Muitas cliente dizem para mim: Ai Isadora, eu não quero que meus pacientes vejam minhas fotos em festas.

Tudo bem! É uma opção. Mas vou te dizer uma coisa: hoje em dia, as redes sociais funcionam como uma importante vitrine de nossa imagem. Bem trabalhadas, elas são importantes ferramentas que te ajudarão no posicionamento e na gestão da sua marca pessoal.

A superexposição, que é diferente de publicar nas redes, não é benéfica nem para o valor de sua imagem e nem para sua segurança pessoal, mas é saudável demonstrar que você tem uma vida como qualquer outra pessoa.

Além de serem ferramentas com alcance bastante interessante, seguidores nutrem certa curiosidade pela vida pessoal de quem os presta algum tipo de serviço e, caso esta curiosidade não seja patológica, pode ser benéfica para seu engajamento nas redes sociais.

O que devo publicar

Aí está uma pergunta de 1 milhão de dólares.

Vai depender do seu objetivo, do seu planejamento e dos seus valores.

As clientes também costumam me perguntar se é legal dar opiniões fortes e entrar em polêmicas como política e religião, por exemplo. Minha resposta será repetitiva, mas não tem como não ser: tem a ver com seus objetivos? Se sim, vá em frente. Se não, para que inflar e compartilhar opiniões sem propósito?

Não se prive do que tem vontade de divulgar por achar que deve ou não deve se expor, tente entender se será benéfico para os seus objetivos e se ajudará no seu posicionamento.

Como saber se me excedi nas redes sociais

Se você pesquisar no Google o termo “etiqueta nas redes sociais’ vai encontrar inesgotáveis artigos que debatem o que é certo e errado para se postar em uma rede social. Alguns, estarão separados especificando o que é bom para cada uma delas.

Isso só vai servir se você tiver definido, e muito bem, sua proposta de valor e o que você quer entregar para os seus seguidores.

O excesso é muito relativo e geralmente acontece quando algo que você publicou interfere negativamente em sua imagem ou em suas atividades. Vale sempre pensar e repensar antes de publicar.

Credibilidade

Um ponto importante na hora da escolha por você, seja para um relacionamento ou para um trabalho é a credibilidade que você passa.

Antes da escolha, principalmente às minhas clientes que são em sua maioria profissionais da saúde, o fator confiança é importante.

Com tantos aplicativos, tanta tecnologia e um mundo robótico, passar credibilidade e confiança aos seus clientes ou aos seus seguidores é importante e por incrível que pareça, é um diferencial.

A credibilidade vem do relacionamento que você constrói com as pessoas, da autoridade que elas veem em você durante a explicação de um assunto que lhes é caro.

Quando você se aproxima da vida real, quando as pessoas percebem referências em você que lhes são comuns, quando você tem o poder de gerar o que a programação neurolinguística chama de rapport, a conexão criada entre pessoas por empatia, gera credibilidade que muitas vezes é transmitida por publicações que demonstrem que você não é alguém superior, mas alguém que com uma vida pessoal como qualquer um.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *